quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Se fazendo a pergunta certa


"Se hoje fosse o seu último dia de vida, o que você faria?"

Certamente já te fizeram esta pergunta. É bem difícil respondê-la, e mesmo que consiga, provavelmente aquela pontinha de incerteza continuará te incomodando. Isso porque a pergunta mexe com nossa ansiedade, e logicamente queremos tudo por não querer que nada acabe. Tudo passa pela cabeça: Aproveitar ao máximo aqueles que amamos; Fazer algo que nunca tivemos coragem; Dizer algo que nunca conseguimos; Tudo ao mesmo tempo. Até aquele problema que vive te tirando a paz deixa de parecer tão importante.

Enfim, é um bom exercício, mas, talvez, seja uma pergunta que enviese nossas escolhas já que ela ativa o nosso instinto de sobrevivência.

Steve Jobs, achou uma forma proativa de se fazer essa pergunta:

“...nos últimos 33 anos, eu olho para mim mesmo no espelho toda manhã e pergunto: 'Se hoje fosse o meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?'“

E o interessante é que quando nos fazemos essa pergunta de forma verdadeira, ela realmente nos faz pensar, não em aproveitar os últimos momentos de vida, mas sim, refletir se o “você” do futuro estaria feliz com o “você” do passado (hein?! OK, confuso, mas faz sentido).

Nessa mesma fala, Jobs também diz que se a resposta dessa pergunta fosse “Não!” por muitos dias seguidos, ele sabia que precisava mudar alguma coisa em sua vida. Tente se fazer essa pergunta pela manhã e, se puder, nos conte como foi aqui nos comentários, queremos mesmo saber.

Então: Se hoje fosse seu último dia, você gostaria de fazer o que fará hoje?