quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Do que você é capaz?

"Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados."


Essa frase dita por Gandhi ganha ainda mais força quando paramos pra pensar no tipo de pessoa que ele foi. Ele acreditava que para mudarmos algo precisávamos mudar, primeiro, a nós mesmos. Um exemplo bem conhecido é a história em que ele, primeiramente, parou de consumir açúcar para poder dizer a uma criança que ela deveria parar.

Então, com essa frase forte em mente, você já pensou no que aconteceria se Gandhi não tivesse lutado pelos seus ideais? Ou não tivesse ajudado os indianos a se libertarem do monopólio de sal que a Inglaterra exercia sobre o seu país?

Tudo o que ele e o seu povo conseguiram conquistar, não seria possível sem a iniciativa dele. Foi através de suas atitudes e palavras que ele obteve aquilo que mais queria: a mudança.

Será que nós estamos sendo como Gandhi, vendo todos os nossos maiores sonhos se realizarem? Se não estamos agindo assim, o que nos atrapalha? É o medo de falhar? Para muitos pode parecer mais fácil desistir do que se acredita por medo de errar.

Mas vou lhe contar um segredo: não há nada mais valioso do que um bom erro!

Sim, foi exatamente isso que você leu! E não, eu não estou louco. Oportunidades únicas de crescimento só vêm com erros e falhas, porém, é extremamente importante que tenhamos humildade para lidar com eles. Não adianta nada errarmos e fingirmos que nada aconteceu ou arranjar alguém a quem culpar.

O crescimento pessoal só vem quando abrimos o coração para as lições que vem com os erros: pedir desculpas, assumir o erro, refletir sobre onde aconteceu a falha e o que você teria feito de diferente se acontecesse novamente. Se pararmos pra pensar, não há tentativa, há apenas aprendizado e sucesso.

A verdadeira falha, o verdadeiro erro, é passar a vida sem saber a diferença que você faria no mundo e, principalmente, na sua própria vida.

Então: Quer saber do que você é capaz? Faça!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Se fazendo a pergunta certa


"Se hoje fosse o seu último dia de vida, o que você faria?"

Certamente já te fizeram esta pergunta. É bem difícil respondê-la, e mesmo que consiga, provavelmente aquela pontinha de incerteza continuará te incomodando. Isso porque a pergunta mexe com nossa ansiedade, e logicamente queremos tudo por não querer que nada acabe. Tudo passa pela cabeça: Aproveitar ao máximo aqueles que amamos; Fazer algo que nunca tivemos coragem; Dizer algo que nunca conseguimos; Tudo ao mesmo tempo. Até aquele problema que vive te tirando a paz deixa de parecer tão importante.

Enfim, é um bom exercício, mas, talvez, seja uma pergunta que enviese nossas escolhas já que ela ativa o nosso instinto de sobrevivência.

Steve Jobs, achou uma forma proativa de se fazer essa pergunta: