quinta-feira, 2 de maio de 2013

Robert Wong - Profissionais de verdade.




O que um profissional de verdade precisa ter nos dias de hoje? Qual a diferença deste profissional para um profissional comum?

Robert Wong acaba de palestrar no Fórum UniCEUB e diz o que é preciso fazer para se tornar um profissional de verdade. Se formou em São Paulo pela Chapel American School e é graduado em Engenharia pela Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo). É cidadão brasileiro de origem chinesa e é fluente em inglês, português e chinês. 

Ele começa a palestra pedindo para que todos se abracem para sentirem o calor humano. Diz, em seguida, que somos todos reis da nossas vidas e que devemos eliminar a autossabotagem ("não posso", "não consigo"). Ele diz, no decorrer da palestra, sobre "atitude". Esta pode ser boa ou ruim, e isso depende somente de nós. São as nossas escolhas que vão nos levar para o caminho do sucesso. Neste caminho, encontraremos desafios, tais que devem ser sanados através da nossa autoconfiança. Além disso, diz que muitas vezes nos deparamos com crises e que acreditamos que elas sejam problemas. Mas não são. As crises, segundo Wong, são apenas momentos de decisão que podem influenciar no nosso futuro e, consequentemente, na nossa vida. 

Wong diz as diferenças entre um profissional comum e um de verdade. O primeiro procura respostas, enquanto o segundo, perguntas. O primeiro sabe ganhar dinheiro, e o segundo, sabe fazer dinheiro - se dedica e faz jus ao seu tempo. O profissional comum tem interesse pelas pessoas e tem inciativa. Já o profissional de verdade, tem interesse genuíno e tem "acabativa" - não desistir. Diz, principalmente, que o profissional de verdade tem atitude, enquanto o comum tem comportamento. 

A atitude, para Wong, é a principal ferramenta para que se consiga chegar ao topo. As ramificações dessa ferramenta gera a autoconfiança. Esta, por sua vez, não existe sem o autoconhecimento. Wong diz que: "Quanto mais eu me conheço, mais autoconfiança eu tenho. Quanto mais autoconfiança eu tenho, mais eu quero me conhecer. É um ciclo." Conclui este pensamento dizendo que precisamos de todas essas ramificações para que a ferramenta principal faça parte de nossas vidas e que, assim, poderemos ser livres para sermos quem somos. Diz, complementando-se, que a maior inspiração do homem é o amor, e que sem ele nunca poderemos ser livres, pois um não funciona sem o outro.

E. depois de todos os momentos de reflexão que Wong proporcionou à plateia, finaliza sua palestra com uma pergunta: "Que profissional você quer ser?".

O Projeto [Hi]School agradece imensamente a presença de Robert Wong nesse evento ministrado pelo UniCEUB. Seremos sempre gratos pelos ensinamentos!

Itamara Cunha e Roger Samtullo.
Voluntários do Projeto [Hi]School.