terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Nossa geração é só o ouro!


No dia 07 de novembro de 2012, na manhã seguinte às eleições presidenciais norte-americanas, a equipe do Projeto [hi] School esteve presente em um dos maiores fóruns de negócio do país, o HSM Expomanagement 2012. Neste evento, a HSM management, empresa organizadora, reuniu grandes expoentes das atuais correntes teóricas relacionadas ao tema. Nomes como Michael Porter, George Bodenhimer, Dom Tapscott, Ram Charan e Dan Arley estavam presentes na lista de palestrantes. 

Um destes grandes nomes me chamou muita atenção: Dom Tapscott! O autor de 13 livros, que é especialista em gerações, trouxe à tona a importância de analisar os relacionamentos e como as gerações interagem e lidam com isso, principalmente a partir da ferramenta mais popular entre nós: a internet. 

Achei interessante o exemplo citado por ele e passei a refletir como isso pode estar ligado à nossa ação voluntária no Projeto [hi] School. Como podemos aplicar determinados pensamentos e provocar mudanças! Já fizemos isso em 2012... Lembram que nós, voluntários, falamos essa palavra, "Mudança!", 86 vezes para 9,6 mil alunos?

Então vejam... Voltemos a Dom Tapscott! Ele afirma que nossa maior ferramenta para atingir este sonho tão distante está literalmente nas palmas de nossas mãos. E então, ele citou o caso de um de seus vizinhos que queria encontrar ouro. Ouro é um dos metais mais raros que existem e, por conta da superestimação do seu valor, não é tão fácil de encontrar! Muitos geólogos, espalhados em todo o mundo, possuem indícios a respeito da localidade desse mineral.

Com o passar do tempo, o vizinho de Dom resolveu criar um grupo na internet para juntar todos os indícios e tentar encontrar este metal tão raro. Após alguns meses de estudos e sondagem, o grupo finalmente conseguiu encontrar uma quantia significativa de ouro e "viveram felizes para sempre..."

Ao terminar de contar a história, me surpreendi porque tudo aquilo reforçava significativamente o poder que os jovens possuem nas mãos, porque a grande maioria domina o uso de algumas redes sociais. Imaginei então... "se sonharmos como o vizinho de Dom, poderíamos fazer acontecer!". Talvez, um grupo com o sonho de tornar o mundo melhor venha a utilizar de maneira colaborativa todo o poder das plataformas sociais que temos acesso. 

Concluindo com “chave de ouro”, Tapscott estabeleceu uma linha entre o aproveitamento dos talentos espalhados por todo o mundo, a emersão da liderança e o uso das plataformas colaborativas como auto organizadas. Assim como os talentos, a liderança pode vir de qualquer lugar. Basta saber identificar. Foi o que, de acordo com o palestrante, Obama fez para vencer as eleições, fez em 2008 e repetiu a receita em 2012.

E é o trabalho que estamos fazendo pelo [hi] School. Temos muitos talentos e algo muito mais caro para explorarmos. E já sabemos o caminho para isso. Precisamos é espalhar esse sentimento que nos cerca ao realizarmos esse trabalho emocionante do projeto e ampliar para mais e mais pessoas, através de nossas redes, nosso sonho de construção de um mundo mais solidário... E então?! Mãos à obra?

Autor: Hugo Portieri Pignatti