quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

[hi] School: onde ser voluntário faz diferença


Rumo ao topo. Essa é a trajetória do projeto “[hi] School”, que transforma o perfil de adolescentes e jovens universitários da capital do país pela determinação e força de vontade.
O projeto [hi] School nasceu da vontade de ajudar as pessoas, da necessidade de despertar nos jovens valores e sentimentos como o amor, integridade, humildade, solidariedade, contribuição, serviço e responsabilidade, visando à construção de um mundo melhor, e tudo isso com o apoio de voluntários.
Será necessário voltar no tempo para entender como eles chegaram aqui. Em 2001, Fernando Duarte, coordenador do projeto, desenvolve a palestra “Deixando Marcas”, com o objetivo de resgatar valores no ambiente de trabalho e melhorar as relações entre as pessoas. Em 2004, ele assume a direção cultural da Organização Não Governamental “Gente Nova” e traz para Brasília o projeto “Congrescuela”, da ONG “Gente Nova” do México. O “Congrescuela” tinha como objetivo apresentar palestras para alunos do 3° ano do Ensino Médio de várias escolas públicas e privadas, sobre assuntos pré-definidos.
Mas, por dificuldades burocráticas, não foi possível realizá-lo da mesma forma em Brasília. Foi então que Fernando Duarte teve a ideia de adaptar a “Deixando Marcas” para o público jovem. Entre 2004 a 2010, mais de 30 mil alunos e mais de 80 escolas puderam assistir às palestras. Em 2007, Fernando deixa a ONG Gente Nova e seu irmão, Thiago Duarte, assume seu lugar, dando continuidade ao projeto “Congrescuela”.
Infelizmente, em 2010, a ONG paralisou suas atividades, retornando um ano depois. Foi quando, em agosto de 2011, com a dedicação dos colaboradores, e muito trabalho, o projeto apresentou sua primeira palestra. Para ter uma ideia da repercussão do projeto, de agosto a dezembro de 2011, foram realizadas 33 palestras em 23 escolas, onde participaram mais de 2.800 alunos, com a colaboração de 20 voluntários.
Já de cara nova em 2012, o [hi] School resolveu inovar criando mais uma palestra, dessa vez voltada para alunos do 2° ano do Ensino Médio, a “Rumo ao topo”. Porém algo inusitado aconteceu, percebeu-se em vários depoimentos de alunos do 3° ano a sugestão que a palestra “Deixando Marcas” deveria ser apresentada também aos alunos do 1° ano. Mais uma vez, o [hi] School deu um passo à frente. As palestras foram divididas da seguinte maneira: “Deixando Marcas” passou a ser a palestra dos alunos de 1° e 3° ano e “Rumo ao topo”, para alunos do 2° ano, agradando a todas as séries do Ensino Médio.
Em 2013, o projeto [hi] School inovará mais uma vez. Será desenvolvida mais uma palestra, que terá como foco alunos do 3° ano. Assim, em 2014, os alunos do Ensino Médio terão a oportunidade de assistir a uma palestra do [hi] Shool em cada ano de ensino.
O sucesso alcançado pelo [hi] School hoje é fruto de muita determinação e força de vontade de seus idealizadores e patrocinadores que investem em conteúdo, material de divulgação e qualificação profissional. Hoje, 60 voluntários se dedicam quase que exclusivamente ao projeto que conta ainda com a indispensável colaboração de seus patrocinadores como UniCEUB, Hightouch, Gráfica Coronário e STAG. Contam também com o apoio da Chilli Beans, Humano Comunicações, Pulso Sonoro e Pennington Audiovisual. 
 
 

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Nossa geração é só o ouro!


No dia 07 de novembro de 2012, na manhã seguinte às eleições presidenciais norte-americanas, a equipe do Projeto [hi] School esteve presente em um dos maiores fóruns de negócio do país, o HSM Expomanagement 2012. Neste evento, a HSM management, empresa organizadora, reuniu grandes expoentes das atuais correntes teóricas relacionadas ao tema. Nomes como Michael Porter, George Bodenhimer, Dom Tapscott, Ram Charan e Dan Arley estavam presentes na lista de palestrantes. 

Um destes grandes nomes me chamou muita atenção: Dom Tapscott! O autor de 13 livros, que é especialista em gerações, trouxe à tona a importância de analisar os relacionamentos e como as gerações interagem e lidam com isso, principalmente a partir da ferramenta mais popular entre nós: a internet. 

Achei interessante o exemplo citado por ele e passei a refletir como isso pode estar ligado à nossa ação voluntária no Projeto [hi] School. Como podemos aplicar determinados pensamentos e provocar mudanças! Já fizemos isso em 2012... Lembram que nós, voluntários, falamos essa palavra, "Mudança!", 86 vezes para 9,6 mil alunos?

Então vejam... Voltemos a Dom Tapscott! Ele afirma que nossa maior ferramenta para atingir este sonho tão distante está literalmente nas palmas de nossas mãos. E então, ele citou o caso de um de seus vizinhos que queria encontrar ouro. Ouro é um dos metais mais raros que existem e, por conta da superestimação do seu valor, não é tão fácil de encontrar! Muitos geólogos, espalhados em todo o mundo, possuem indícios a respeito da localidade desse mineral.

Com o passar do tempo, o vizinho de Dom resolveu criar um grupo na internet para juntar todos os indícios e tentar encontrar este metal tão raro. Após alguns meses de estudos e sondagem, o grupo finalmente conseguiu encontrar uma quantia significativa de ouro e "viveram felizes para sempre..."

Ao terminar de contar a história, me surpreendi porque tudo aquilo reforçava significativamente o poder que os jovens possuem nas mãos, porque a grande maioria domina o uso de algumas redes sociais. Imaginei então... "se sonharmos como o vizinho de Dom, poderíamos fazer acontecer!". Talvez, um grupo com o sonho de tornar o mundo melhor venha a utilizar de maneira colaborativa todo o poder das plataformas sociais que temos acesso. 

Concluindo com “chave de ouro”, Tapscott estabeleceu uma linha entre o aproveitamento dos talentos espalhados por todo o mundo, a emersão da liderança e o uso das plataformas colaborativas como auto organizadas. Assim como os talentos, a liderança pode vir de qualquer lugar. Basta saber identificar. Foi o que, de acordo com o palestrante, Obama fez para vencer as eleições, fez em 2008 e repetiu a receita em 2012.

E é o trabalho que estamos fazendo pelo [hi] School. Temos muitos talentos e algo muito mais caro para explorarmos. E já sabemos o caminho para isso. Precisamos é espalhar esse sentimento que nos cerca ao realizarmos esse trabalho emocionante do projeto e ampliar para mais e mais pessoas, através de nossas redes, nosso sonho de construção de um mundo mais solidário... E então?! Mãos à obra?

Autor: Hugo Portieri Pignatti
 

Festa do [hi] School premia voluntários

Emocionante. Assim pode se definir a entrega do prêmio S.E.R. de voluntariado. A Trilha – Cursos e Palestras ofereceu na noite de quarta-feira (05) um jantar para comemorar o Dia Internacional do Voluntariado. Aproveitando a oportunidade, entregou os prêmios de voluntariado do projeto [hi] school. Foram 10 categorias e sete indicados para cada uma delas. Fernando Duarte, diretor executivo do projeto, foi o mestre de cerimônia do evento que durou cerca de 4 horas. Foram entregues também os certificados de participação no projeto para todos os voluntários inscritos. Os vencedores levaram um troféu, além de um certificado especial.

O voluntário Luan Jorge estava entusiasmado na festa. Ele foi indicado em três categorias do prêmio e levou as três: Maior presença nos eventos, Suporte e Voluntário do ano. O jovem de 25 anos afirmou estar aproveitando a noite na companhia dos amigos e brindando o excelente ano do projeto. Para ele, a experiência de trabalhar pelo [hi] School é indescritível. “Estou muito feliz por estar aqui, por fazer parte desse projeto tão bonito e por receber esses prêmios. O [hi] School mudou minha vida, mudou a forma como vejo o mundo. Hoje, meus princípios, meus valores são outros e agradeço por poder fazer parte disso tudo”.

Luan Jorge


Os vencedores das outras categorias foram: Lucas Amorim, o “Coxinha”, como "Veterano"; Pedro Paulo, o “Pepê”, com "Motivação"; Ana Paula Malmonge, Diego Monte e Sarah Azevedo com "Mãos à Obra"; Marina Pontes com "Fotografia"; Rafael Leão com "Autodesenvolvimento"; Renato Rocha com o "Microfone de Ouro" e Diego Monte, que recebeu também o troféu "Transcendência".

 
 
O coordenador do projeto, Pedro Manzur, agradeceu os voluntários apresentando resultados que superaram todas as expectativas, com o objetivo de incentivar os jovens a investirem ainda mais no [hi] School. Pedro afirma ainda que para 2013 o projeto estenderá suas ações e que voluntários dispostos a ajudar serão sempre bem vindos. “Estamos muito satisfeitos com os resultados desse ano. Conseguimos superar nossas expectativas em todos os sentidos. Em 2013 vamos expandir nossas ações e contamos com ajuda de todos os voluntários para alcançarmos nossos objetivos”. 

 

Finalizando o evento, o diretor nacional da Trilha, Fernando Duarte, agradeceu a participação de todos os membros envolvidos no projeto [hi] School em todos os setores, todos os parceiros e voluntários. “Agradeço a confiança das escolas em apostar no nosso projeto. Queremos alcançar ainda mais alunos e não vamos medir esforços para conquistar esses estudantes”.